Category Archives: Cuba

A Havana que eu imaginava e a Havana que nós encontramos

O que Havana e, Cuba, de um modo geral transmitem ao mundo, todos devem estar cansados de saber: Rum, propaganda do regime de Che e Fidel, Mojito, prédios históricos, carros antigos, musicalidade, Daiquiri, Malecón <3, etc...

Combinando em Havana :)

Combinando em Havana :)

Degustação de rum, um dos maiores produtos de exportação de Cuba, no museu do Rum, em Havana.

Degustação de rum, um dos maiores produtos de exportação de Cuba, no museu do Rum, em Havana.

O tradicional Mojito do La Bodeguita Del Medio (lugar que ficou conhecido pelo seu mais famoso frequentador: Hemminway)

O tradicional Mojito do La Bodeguita Del Medio (lugar que ficou conhecido pelo seu mais famoso frequentador: Hemminway)

Preparação de Daiquiri, no famoso La Floridita, também devido ao cliente fiel Hemminway.

Preparação de Daiquiri, no famoso La Floridita, também devido ao cliente fiel Hemminway.

Curiosa imagem no nosso caminho de todo dia entre o Centro de Habana e a Habana Vieja

Curioso registro no nosso caminho de todo dia entre o Centro de Habana e a Habana Vieja.

O que eu e, talvez, você não sabia, é que por trás dessa Cuba já, digamos, tradicional, há muitas outras sensações e sabores a descobrir. Eu tive a alegria de experimentar algumas delas e compartilho agora nesse espaço que alimento com tanto carinho um pouco do que vivi naquela ilha do Caribe.

Desde já, digo que nossas maiores fontes de pesquisa foram o guia de viagem da Lonely Planet (comprei a versão em inglês, pois não achei em português) e posts de viagem atualizados na internet.

Daquele guia, pegamos quase todas as dicas sobre onde comer e beber em Havana. Como dois digamos, “problemáticos” (rs) que somos quando o assunto é comer e beber fora, optamos por seguir recomendações mais “seguras” sobre o assunto. Visitamos o muito bom La Guarida e não nos arrependemos. A entrada do prédio onde se localiza esse restaurante é bastante incomum. Pense num prédio abandonado com paredes caindo o reboco. É assim a entrada do La Guarida… até você subir os degraus que dão acesso aos salões onde turistas, especialmente, se amontoam para acessar uma mesa, previamente reservada, e se deliciar com a excelente comida e também vista especial de Havana.

Entrada do La Guarida

Entrada do La Guarida

Vista de um dos salões do La Guarida

A partir do guia Lonely Planet tivemos acesso também à região da Fusterlândia, um excêntrico bairro todo adornado em ladrilhos. Segundo o seu idealizador, José Fuster, uma homenagem ao espanhol Gaudi. :)

A Fusterlândia fica a uma boa distância de Habana Vieja e do Centro de Habana. Optamos por nos deslocar até lá de carro, com preço previamente acertado com o gentil motorista, que nos levou e ainda nos esperou para trazer de volta à zona mais movimentada.

Só não aproveitamos mais, porque justamente naquele dia, caiu uma chuva que insistia em não nos dar uma trégua. Passamos um bom tempo dentro de uma galeria, esperando São Pedro colaborar com o nosso passeio. 

FullSizeRender 2(4) FullSizeRender 22(4) FullSizeRender 10(4) FullSizeRender 49(3)

Como bons fãs de arte de rua que somos, não nos passou despercebido alguns grafites e murais espalhados por Havana. Foi uma grande surpresa ver uma arte “moderna” misturada a prédios históricos necessitados de restauração. Incrível!

IMG_0060 IMG_0061 FullSizeRender 46(2)

Arte de rua em Havana

Arte de rua em Havana

Cuba, já sinto muitas saudades! Espero um dia te reencontrar e me surpreender mais e mais. <3

Viajar à Cuba foi mais fácil do que eu imaginava

Eu escrevo esse post ouvindo “Buena Vista Social Club” e recomendo, de verdade, que você se permita conhecer um pouco da música de raiz cubana. “El Cuarto de Tula” é sinergia pura. Incrível! Não se espante se quiser começar a imediatamente mexer o quadril e/ou os ombros. Cuba é musicalidade, corpos em movimento, instrumentos musicais por todo lugar que se olhe.

Eu me senti muitíssimo bem acolhida na terra dos irmãos Castro. A começar, quando fui tirar o visto, aqui mesmo, na embaixada de Cuba, em Brasília. Com uma ligação, a atendente me informou que eu deveria pagar primeiro uma taxa de aproximadamente R$ 60,00 (sessenta reais) e dois dias depois comparecer à embaixada, com meu passaporte, esse formulário preenchido e as cópias da passagem aérea (ida e volta) e da reserva de hospedagem. Pronto! Quando compareci ao local, já saí com meu visto em mãos. Fácil, fácil! É possível também fazer o pedido de visto não presencial. Veja aqui como.

Embaixada de Cuba em Brasília

Embaixada de Cuba em Brasília

Na sequência, ao pousar em Havana (meu vôo foi operado pela Copa Airlines – Brasília/Panamá/Havana), mais facilidade e tranquilidade. Isso me chamou a atenção, porque nas últimas vezes que entrei em um país sozinha, passei por quase uma “sabatina” e, nada disso, aconteceu em Cuba. Ao contrário.

Pronta para o embarque :)

Pronta para o embarque :)

Sobrevoando a Ilha de Cuba <3

Sobrevoando a Ilha de Cuba <3

Não passou desapercebido da minha atenção as meias arrastão combinadas com as micro-saias das atendentes do aeroporto, e, convenhamos, nada normal para um país isolado e fechado, pensava eu.

No aeroporto de Havana... (além das propagandas de governo, as de bebidas rum e cerveja foram as únicas que avistei)

No aeroporto de Havana… (além das propagandas do governo, as de rum e cerveja foram as únicas que avistei)

Aproveitei que esperava o vôo do meu namorado pousar em Havana, para trocar os euros que havia levado por pesos cubanos conversíveis (a moeda usada pelos turistas em Cuba). Um peso cubano conversível é equivalente ao dólar americano. No entanto, levar a moeda norte-americana não é bom negócio, pois sobre a transação incide uma taxa extra de, salvo engano, 10%. 

IMG_7036 (Editado)
Notas de peso conversível

Para o turista brasileiro mais desavisado, Cuba pode parecer um destino de viagem mais caro. No entanto, aqui também vale a máxima do “quem converte não se diverte”. O que posso garantir é: vale cada centavo investido! 

O aeroporto de Havana fica um pouco distante das regiões mais turística da cidade, que são Habana Vieja (essa sem dúvidas, a mais turística e onde se deve ficar hospedado se o objetivo é realmente sentir a “alma cubana”), Centro Habana (onde ficava nosso airbnb, próximo ao Malecón, e apenas alguns minutos a pé de Habana Vieja) e Vedado (região mais residencial). Então acertamos um serviço de transfer com o nosso host, o qual estava pontualmente à nossa espera no horário combinado.

Vista do Malecón a partir do nosso apartamento alugado pela plataforma airbnb

Vista do Malecón a partir do nosso apartamento alugado pela plataforma airbnb

Aquele seria apenas o primeiro dia, de uma semana, na histórica Cuba. <3